Menu


Informações

Professor Jair é indicado para prêmio de cidadania

19/10/2020 (Publicado há mais de 1 mês)

Por sua disposição em criar equipamentos para ajudar pacientes vitimados pela pandemia do novo coronavírus, o professor de Física Jair Carlos Müller, que leciona nos colégios Concórdia de São Leopoldo e Arthur Konrath, de Estância Velha, foi indicado ao Prêmio VS Cidadão, na categoria Responsabilidade Social. Ele integra a lista formada pelo educador Fábio Bernardo da Silva e pelo empresário Ivo Lauri Goldschmitdt. “Estou muito honrado em ter sido indicado pela equipe de redação do jornal. Este reconhecimento nos inspira a continuar ajudando a todos, de acordo com as nossas possibilidades”, aponta o professor. Esta categoria visa prestigiar a pessoa que se dedica ao trabalho social junto a diferentes públicos (crianças, idosos, comunidades carentes, geração de renda, economia solidária). O Prêmio VS Cidadão, idealizado pelo Jornal VS, visa premiar doze personalidade que, nos últimos meses, destacaram-se por ações de elevado grau de cidadania, envolvimento comunitário, filantropia, geração de emprego e renda, crescimento econômico, melhoria nas condições de vida dos cidadãos, desenvolvimento e de assuntos de São Leopoldo. São indicadas três pessoas para cada categoria, cuja escolha pode ser feita até o dia 1 de novembro, pelo site http://cidadaovs.gruposinos.com.br. O resultado será conhecido no dia 6 de novembro. Para Nelci Naor Senger, diretor do Colégio Concórdia, a indicação do professor Jair demonstra a atitude cristã que norteia o sistema pedagógico da escola. “Seu exemplo repercute junto a toda a comunidade escolar e dá exemplo aos alunos que o conhecimento adquirido pode e deve ser usado para o bem comum”, diz. O que fez o professor Jair: Visando contribuir na busca de soluções para o tratamento de pessoas vitimadas pela Covid-19, o professor Jair desenvolveu dois equipamentos para ajudar no tratamento respiratório: um respirador mecânico de baixo custo e uma cápsula ou câmera de tratamento, cujo princípio é proteger os profissionais que estão no atendimento do paciente que não estiver em respirador invasivo. A cápsula evita que o vírus saia do ambiente, uma vez que é filtrado através de uma ventilação forçada, que fica no topo da estrutura.